Blog

Últimas notícias da Kerr Dental

Saúde periodontal e a influência em doenças cardíacas

29 de agosto de 2017 por Kerr

periodontia_escovacao

Estudo aponta que os cuidados com a gengiva podem ajudar na progressão lenta de aterosclerose (enrijecimento das artérias).

Da mesma forma que os dentes, a gengiva pode dizer muito não só da saúde bucal do paciente, como do status geral dela também. Todos os dias, os profissionais de odontologia contribuem ao máximo para tratar as doenças periodontais, especialmente no primeiro estágio que é a gengivite, uma infecção que também pode comprometer a estrutura óssea dos dentes. Além de afetar o osso e os ligamentos que mantêm a arcada dentária em dia, os cuidados para evitar esse quadro ainda podem proteger o coração.
Pesquisadores americanos descobriram que, a partir do momento que uma pessoa cuida e apresenta melhorias na saúde periodontal, isso afeta a progressão mais lenta da aterosclerose, doença que tem uma evolução silenciosa e que provoca infartos, acidente vascular cerebral e outras doenças cardiovasculares. Ela acontece devido ao acúmulo de gordura nas placas de ateroma que se formam nas paredes dos vasos sanguíneos.
No estudo realizado por pesquisadores da Universidade Columbia, 420 adultos foram examinados por causa da evidência de infecção periodontal relacionada com a aterosclerose, onde foi coletado 5.000 mil amostras de placa bacteriana retiradas dos dentes e das gengivas dos envolvidos, analisados por 11 cepas. Foi diagnosticado que a melhora na saúde periodontal causa a redução da bactéria, o que reflete em um processo mais lento do aumento da espessura da camada íntima-média que mede a extensão da aterosclerose.

O descuido na saúde periodontal deixou constatada uma diferença de 0,1 milímetros na espessura da camada íntima-média em comparação às pessoas que mantiveram os cuidados durante a pesquisa. Com esse resultado, os envolvidos nesse projeto afirmam que é importante acompanhar esse status de envolvimento, pois a relação das doenças periodontais e da aterosclerose pode acarretar em eventos clínicos mais graves, como as doenças sistêmicas.
Sendo assim, o tratamento da flora periodontal feito de maneira eficaz poderá ser visto como uma maneira de retardar a progressão da aterosclerose. Da mesma forma que a saliva pode ser capaz de indicar doenças sistêmicas, o mesmo vale para as doenças periodontais, pois as bactérias da placa dental que acarretam esse quadro atingem a corrente sanguínea. Assim, a odontologia também contribui para a constatação de doenças mais graves em pacientes, como cardiovasculares e diabetes. O caso mais comentado no universo odontológico é a relação da doença periodontal com o infarto do miocárdio, um passo importante para um envolvimento maior com a medicina.